Marketing de afiliados: o que é e como ganhar dinheiro: Guia passo a passo

96
Afiliados: ganhar dinheiro

Marketing de afiliados é uma das melhores formas de ganhar dinheiro online, pois é um sistema que permite muitas possibilidades diferentes de gerar lucro. Justamente, pela sua grande capacidade de adaptação a vários nichos de mercado.

Antes de qualquer coisa, é importante destacar que não é ilegal trabalhar com marketing de afiliados.

Apesar de não existir nenhum tipo de legislação específica sobre o assunto, o modelo de negócios é legítimo.

A única exigência legal é que se faça a declaração dos rendimentos, como acontece com qualquer transação comercial.

Este é o procedimento padrão de pessoas que trabalham com este modelo de negócios.

Mas a maioria das pessoas não faz nenhum tipo de declaração no início, quando a renda não é significativa.

Embora seja um processo simples e acessível, não se trata de um esquema para ganhar dinheiro fácil.

Dedicação, disciplina e persistência são fundamentais para alcançar resultados de sucesso.

 

O que é o Marketing de Afiliados e como Funciona

A forma mais simples de explicar o que é marketing de afiliação é trazendo o conceito para o mundo offline e fazendo uma analogia com a profissão de representante comercial.

Um representante comercial é uma pessoa que ganha uma comissão por cada venda que consegue realizar para as marcas com as quais trabalha.

Um afiliado não deixa de ser um representante comercial, alguém que ganha comissões por cada uma de suas indicações de produto ou serviço que tenha convertido os resultados desejados pela marca parceira.

Agora, com a internet, não é mais necessário gastar sola de sapato e bater de porta em porta para realizar vendas.

Quando um usuário se inscreve para trabalhar como afiliado, ele ou ela recebe um link personalizado que faz referência ao produto ou serviço a ser promovido.

Por meio deste link, as conversões do produto são monitoradas e as comissões são calculadas.

Tudo online, de forma prática e segura.

Uma das grandes vantagens de participar de um sistema de afiliados é que é uma forma praticamente passiva de fazer dinheiro online.

Depois que o conteúdo foi criado e divulgado na internet para promover algum produto ou serviço, desde que seja mantido online e atualizado, ele mantém seu potencial de conversão e de geração de renda para o seu afiliado infinita e ilimitadamente.

 

Quanto ganham os afiliados

Antes de começar qualquer nova empreitada, é natural querer saber qual o potencial de ganho com a atividade.

Um fórum especializado em marketing de afiliação, realizou uma pesquisa para saber quanto dinheiro seus participantes estavam fazendo como afiliados, a seguir suas descobertas são relatadas.

De acordo com a pesquisa, devido à forte competição e à falta de persistência, 80% das pessoas que trabalham como afiliados ganham quase nada.

Dos 20% restantes, 18% ganham menos de US$1.600,00, o equivalente a R$5.900,00, por mês.

E dentro desses 18%, 90% não passam de US$50,00 a US$500,00 por mês, o que em reais, seria algo em torno de R$ 180,00 a R$1.850,00.

Em um primeiro momento, os números podem ser desanimadores para quem está pensando na atividade como uma forma fácil e rápida de ganhar dinheiro, o que já foi explicado que não é.

Entretanto, para aqueles que estão dispostos a, desde o início, se dedicar de forma correta e consistente, os resultados são promissores e recorrentes.

O especialista que comandou a pesquisa criou uma tabela em que ele explica os níveis existentes de afiliados, baseado em seus ganhos mensais.

 

Níveis de afiliados em relação aos seus ganhos por mês:

Iniciante: ganha menos de US$100,00, ou R$370,00

Intermediário: ganha entre US$100,00 e US$500,00, ou R$370,00 e R$1.850,00

Avançado: ganha em torno de US$500,00 a US$2.000,00, ou de R$1.850,00 a R$7.400,00

Profissional: ganha entre US$2.000,00 e US$5.000,00, ou R$7.400,00 e R$18.500,00

Especialista: mais de US$5.000,00, ou R$18.500,00

 

É realmente possível ganhar dinheiro de verdade com marketing de afiliados?

Apesar de o mercado de marketing de afiliados ser bastante competitivo, sim, é possível ganhar dinheiro com a atividade.

O fato de ser um mercado com concorrência, serve como boa notícia para aqueles que são persistentes, pois muitos desistem antes de obter qualquer resultado positivo.

A seguir, pode-se observar uma captura de tela dos resultados obtidos por mim, com um blog que comecei com zero valor em faturamento e consegui levar a US$ 1300,00, o equivalente a R$4.900,00, de rendimento por mês.

Tudo isso, em questão de apenas nove meses.

Os primeiros meses são de muito trabalho e quase nenhum retorno, mas, com esforço e constância, os resultados aparecem.

Como podem ser verificados na última coluna do lado direito da tabela abaixo. Espero que a imagem a seguir sirva de estímulo para aqueles que desejam aprender como ser afiliado.

 

Tipos de comissões que podem ser obtidas

Existe mais de um tipo de modelo operacional que remunera afiliados cadastrados por seus esforços, promovendo produtos e serviços. Cada um deles é explicado a seguir:

  • Custo Por Clique (CPC)

  • Custo Por Ação (CPA)

  • Custo por Lead (CPL)

  • Custo Por Mil Impressões (CPM)

  • Custo Por Venda (CPV)

  • Custo Por Instalação (CPI)

  • Revenue Share (RVS)

Custo Por Clique (CPC)

Neste tipo de programa, a remuneração acontece por cada vez que algum usuário clicar no link personalizado do afiliado, eis o nome, custo por clique.

O link pode estar no formato de um banner, de um pop-up, ou qualquer outro tipo de publicidade que esteja em exibição nos canais de publicação utilizados pelo associado.

A remuneração do afiliado é diretamente vinculada ao desempenho de sua campanha de anúncios.

O valor recebido pelo afiliado por cada clique pode ser fixou ou variável, depende das regras de cada programa.

A grande vantagem deste modelo é que o afiliado não está encarregado de um resultado final, como uma venda, por exemplo, basta conseguir cliques.

Entretanto, esta “facilidade» acaba sendo a maior fraqueza do programa, pois é um modelo muito difícil de escalonar, já que exige muitos cliques para se ganhar muito dinheiro.

Custo Por Ação (CPA)

Este tipo de programa só remunera o afiliado, caso o usuário, após clicar em seu link personalizado, execute algum tipo de ação.

As ações podem variar, dependendo dos objetivos do anunciante, que pode exigir a venda de um produto, o preenchimento de um formulário ou apenas a efetivação de um cadastro.

Trata-se de um dos modelos de comissão mais popular e também um dos que melhor paga seus afiliados associados.

Custo por Lead (CPL)

Considerado um meio termo entre o CPC e o CPA, pois não exige de seus afiliados que apenas consigam cliques em seus links, mas também não chegam a exigir que vendas sejam efetivadas.

Os anunciantes que contratam este modelo de comissionamento, estão atrás de leads para as suas marcas. Leads são clientes em potencial.

Estas campanhas executam uma espécie de triagem do público-alvo da marca contratante, que deseja aumentar seu banco de dados para vender seus produtos depois.

Diferentemente do CPA, que quando pede cadastros, paga o afiliado por qualquer registro, o CPL está interessado em registros de contatos bastante específicos, como por exemplo, uma mulher grávida na faixa dos 30 anos.

Portanto, o pagamento ao afiliado só acontece quando o contratante verifica que os registros correspondem perfeitamente ao perfil que eles estão buscando.

Custo Por Mil Impressões (CPM)

Quem já está familiarizado com geração de renda por meio do sistema do Google AdSense, sabe que o afiliado recebe sua comissão, quando o seu anúncio publicitário alcança mil visualizações.

Este método é interessante para os afiliados que já têm um site ou blog com muitos acessos, pois a remuneração acontece independentemente de seus usuários clicarem ou não em alguma publicidade.

Cabe destacar que dos modelos de comissão, este é o que menos paga, devido a sua facilidade de execução.

Custo Por Venda (CPV)

Como o próprio nome já sugere, neste modelo, o afiliado recebe a sua comissão apenas quando o usuário que acessou o produto ou serviço pelo seu link personalizado, efetuar uma compra.

O mais interessante deste tipo de comissão é que o afiliado, normalmente, não recebe porcentagem apenas pelo produto ou serviço que levou o usuário ao canal do vendedor, mas por tudo aquilo que o usuário acabar comprando naquela visita.

É o modelo mais utilizado pelas plataformas de e-commerce para promover os seus produtos.

Custo Por Instalação (CPI)

Este modelo surgiu juntamente com os smartphones, aparelhos móveis e aplicativos.

Totalmente voltado para o tráfego mobile, o afiliado recebe sua comissão por cada vez que algum usuário instalar um aplicativo que ele esteja promovendo.

Mesmo que o usuário não venha a utilizar o aplicativo, o afiliado recebe sua comissão de qualquer forma, já que o objetivo é conseguir o download do mesmo.

Este nicho de mercado está cada vez mais especializado, com empresas dedicadas exclusivamente a isso.

Revenue Share (RVS)

Em português, quer dizer Partilha de Receita.

O modelo é utilizado por sites de relacionamentos, de investimentos, de apostas esportivas, de assinaturas em geral.

Este sistema de comissionamento é muito interessante, pois tem o potencial de gerar lucro recorrente.

O afiliado não recebe sua comissão apenas quando um novo usuário adquire alguma assinatura, mas sim, por cada vez que esta assinatura é renovada.

Deixando de receber, somente caso a assinatura venha a ser cancelada.

Tipos de produtos

Algumas pessoas, quando pensam em marketing de afiliação, pensam imediatamente e quase somente na comercialização de produtos digitais, mas produtos físicos também possuem seus próprios sistemas de afiliados.

Produtos físicos

Existe um sugestionamento entre profissionais do ramo de que produtos físicos são mais fáceis de vender do que os produtos digitais.

Talvez isso aconteça pelo fato de que produtos físicos são auto-explicativos.

Normalmente, não há necessidade de esclarecer para os usuários do que se trata o produto, menos ainda quando o produto é de alguma marca famosa.

Outro ponto favorável são as taxas menores de devoluções e reembolsos.

Às vezes, o incômodo de ter de devolver fisicamente um produto, já desestimula o comprador, que acaba não prosseguindo com a devolução.

Entre as desvantagens de promover produtos físicos estão as comissões mais baixas, que giram em torno de 4% a 15%, com pouca frequência passando desse teto.

Podemos citar como exemplos, empresas que pagam seus afiliados um percentual variável por cada peça de roupa de sua loja que eles tenham promovida o venda.

Ou, uma marca de computadores que paga comissões fixas por cada máquina vendida através de um link personalizado de um algum de seus afiliados.

Vale ressaltar que eletrônicos são os tipos de produtos físicos que pagam as comissões mais altas.

Produtos digitais

Também são chamados de infoprodutos, pois seus produtores não estão vendendo um produto físico, mas algum tipo de informação, um conhecimento.

Infoprodutos podem ser livros digitais, cursos, vídeo-aulas, podcasts, softwares.

As comissões pagas por produtos digitais são muito maiores que as porcentagens pagas por programas de produtos físicos, podendo chegar até 75% do valor da compra.

Sendo os valores de comissão mais comuns entre 30% e 50%. Isso se deve ao fato de que os produtos digitais têm uma taxa de conversão menor que os produtos físicos.

Quanto às suas vantagens, não existe preocupação com restrições de envio do produto, já que o mesmo é digital e sua entrega é instantânea.

O imediatismo da entrega e a ausência de custos de envio, tornam os infoprodutos mais sucetíveis a compras por impulso por parte dos usuários.

Existem muitas ofertas para afiliados que desejem trabalhar com produtos digitais, como, por exemplo, promover sites de apostas esportivas e receber um pagamento por cada indicado seu que efetuar um cadastro naquela plataforma.

Ou, dedicar-se a divulgar cursos digitais e ganhar uma comissão por cada venda efetivada por meio de seu link.

Como Vender como Afiliado

Vender como afiliado está diretamente ligado aos canais de divulgação escolhidos para promover produtos ou serviços ao público-alvo.

A seguir, pode-se ver uma lista dos canais mais utilizados e suas principais características.

1. Blog ou Site

Investir em um blog ou site próprios é interessante pela liberdade de criação proporcionada. Não existem limitações estéticas ou de quantidade de conteúdo permitida, como acontece com plataformas de redes sociais.

O afiliado pode aprimorar o seu blog ou site da forma que achar mais conveniente e rentável para atender ao seu público. Os blogs ou sites podem ser, basicamente, generalistas ou específicos.

Blog ou Site Generalista

Um blog generalista fala sobre diversos assuntos diferentes, sua principal vantagem é a possibilidade de atrair tráfego com vários tópicos diferentes.

Para não parecer uma baderna e acabar perdendo um cliente em potencial por ele não conseguir encontrar o que deseja, é importante separar o conteúdo em categorias bem definidas e adotar uma lógica de organização.

Blog ou Site Específico

Blogs ou sites específicos são focados em um setor singular, como gastronomia, turismo, moda, finanças.

Frequentemente, são chamados de sites de nichos.

Há quem defenda que afiliados que se focam em nichos específicos são mais bem-sucedidos, pois acabam sendo vistos como autoridade no assunto e o público acaba confiando mais em suas indicações.

Blog de Resenhas ou Site de Reviews

Independentemente de se optar entre criar um site ou blog generalista ou de nicho, um tipo de página que atrai bastante tráfego são aquelas que disponibilizam resenhas de produtos.

Seja criando um site de comparação entre produtos físicos ou um blog que publica reviews sobre produtos digitais, a grande vantagem desse modelo é que ele atrai pessoas que já estão pensado em comprar aqueles produtos ou serviços.

As chances de efetuar uma venda são maiores, pois o usuário já acessou aquela informação com a intenção de compra.

2. YouTube

Depois do Google, o YouTube é o site mais usado para realizar pesquisas na internet.

Tendo assim, um potencial imenso de visibilidade e tráfego.

Nem todos os usuários gostam de consumir conteúdo por meio de texto, muitos preferem ver um vídeo a ler uma publicação.

Mesmo que se crie um blog ou um site que contenha vídeos, deixar de postá-los no YouTube é perder potencial de mercado.

A prática mais comum é adicionar links de afiliação na descrição do vídeo, sempre lembrando de encurtá-lo antes com algum encurtador de URL para deixar o aspecto estético menos poluído e mais profissional.

O blog Printsome, criou uma lista com os 20 tipos de vídeos que mais recebem visualizações no YouTube. Segue a lista decrescente para inspiração:

  1. Reviews de produtos (os mais populares nesta categoria são os de tecnologia, mas há espaço para todos os tipos de avaliações).

  2. Tutoriais (abrangem uma série de tópicos como, maquiagem, fitness, softwares, brincadeiras para crianças)

  3. Vlogs (pessoas que compartilham suas vidas como em um diário em forma de vídeo),

  4. Videogame

  5. Sátira ou Comédia

  6. Haul Videos (acredite ou não, são vídeos de YouTubers mostrando produtos que compraram em sua última “farra de compras”)

  7. Memes

  8. Melhores ou Favoritos (lista de produtos ou serviços favoritos)

  9. Educacionais

  10. Unboxing (termo em inglês para o ato de desembalar novos produtos)

  11. Perguntas e Respostas (ideal para quem já tem uma certa audiência)

  12. diversos e contando como os adquiriam)

  13. Coleções de Produtos (basicamente pessoas mostrando suas coleções de produtos

  14. Animais Engraçados, Pegadinhas

  15. Fofocas sobre Celebridades

  16. Paródias

  17. Aprimoramento Pessoal

  18. Artistas Covers

  19. Relacionamentos (especialmente vídeos de casais, contando sobre a sua rotina)

  20. Culinária

LER MAIS: Como ganhar dinheiro com Youtube

3. Facebook

Considerando que o Facebook tem mais de 2 bilhões de usuários em todo o mundo, não pode ser desconsiderado em uma estratégia de marketing de afiliação.

Antes de qualquer coisa, é importante criar uma página no Facebook e não utilizar o perfil pessoal para recomendar produtos e serviços, desta forma já se cria uma abordagem mais profissional.

Uma forma inteligente de fazer uso do Facebook, sem necessariamente recorrer aos anúncios pagos, é criando um grupo.

Seguindo a mesma lógica na hora de criar um blog, um site ou um canal no YouTube, pode-se criar um grupo no Facebook dedicado a fornecer e compartilhar informações relacionadas aos produtos e ou serviços que se deseja promover.

É importante criar um ambiente do qual os usuários queiram fazer parte, que eles sintam vontade de curtir, comentar, compartilhar conteúdo.

Desta forma, se sentirão felizes em adquirir produtos por meio de links, cujas comissões eles entendem que são usadas para manter o grupo ativo.

Transparência é uma característica fundamental em carreiras de afiliados bem-sucedidos.

Seja um Afiliado Passo a Passo

Existem muitas formas de como ser um afiliado, o passo a passo a seguir é apenas uma sugestão de uma dessas maneiras para aqueles que desejam aprender como ganhar dinheiro como afiliado.

Escolhera estratégia

Esta talvez seja a parte mais crítica, pois tudo está atrelado à estratégia, assim como a estratégia determina todos os elementos envolvidos no processo de marketing de afiliados.

A estratégia pode começar a ser montada, basicamente, a partir da escolha do que vender, a partir da escolha dos métodos de divulgação ou a partir da escolha dos modelos de rentabilização, que já foram explicados anteriormente.

O mais importante é que todos estes elementos se complementem e façam sentido. Por exemplo, de nada adianta, montar um grupo no Facebook chamado “Cozinhando com menos” e postar links de utensílios de cozinha de luxo, que levam o usuário para preencher um formulário de uma imobiliária.

Deve-se pensar em todo o processo de valor envolvido, seja o usuário com foco, seja afiliado. Talvez, neste momento, não seja possível criar um blog sobre reviews complexos para promover produtos tecnológicos que pagam altas comissões.

Mas, talvez, seja possível criar um site com uma lista dos produtos mais vendidos no Brasil para perda de peso e monetizá-lo com os modelos CPC e CPM. Não existe uma estratégia melhor que a outra.

O que existe são estratégias bem elaboradas e estratégias mal pensadas.

Escolher produtos ou serviços para divulgar

Na hora de escolher produtos ou serviços para promover, existem algumas abordagens diferentes.

Alguns afiliados preferem trabalhar com aquilo que já vende bastante.

Talvez ganhar uma comissão um pouco menor devido à grande procura, mas focar no volume de vendas que um produto ou serviço, já procurado no mercado pelos usuários, pode proporcionar. Outros afiliados preferem escolher produtos ou serviços que são mais difíceis de vender e por isso mesmo pagam altas comissões.

Eles visam ganhar com vendas mais específicas, que às vezes demoram mais para serem efetivadas, mas que pagam melhor.

Outra forma de abordar a escolha do que promover é pensar sobre aquilo que já se tem conhecimento ou experiência.

Alguns afiliados acreditam que é mais fácil promover produtos e serviços relacionados ao seu estilo de vida e seus interesses.

Desta forma, o afiliado está se apresentando como um expert, alguém que está ali para ajudar os usuários com suas dúvidas.

Existe, entretanto, outra forma de se relacionar com os usuários e isto é se colocando no lugar dos usuários e juntamente com eles ir testando e provando produtos e serviços.

Esta abordagem é muito comum entre afiliados engajados em programas de redução de peso e reeducação alimentar, em que os usuários acompanham e compartilham da mesma vivência.

Educaro público-alvosobre o produto ou serviço

Esta é uma outra forma de dizer que para ser bem-sucedido como afiliado é preciso fornecer conteúdo de qualidade para o seu público.

Nem que este conteúdo seja vídeos de gatos engraçados no YouTube.

Os usuários querem saber tudo o que podem antes de efetuar alguma ação online, mesmo que esta ação seja fornecer um endereço de e-mail.

O afiliado que quer alguma coisa de seus usuários, deve estar disposto a dar algo em troca a eles, antes mesmo que eles peçam por isso.

Esclarecimentos como para que serve o produto ou serviço, maneiras de usá-lo ou operá-lo, benefícios de sua aquisição são pontos fundamentais de serem abordados por meio dos canais de divulgação escolhidos.

Até mesmo mencionar os pontos fracos dos produtos e serviços promovidos é importante para evitar futuras frustrações e para gerar uma maior confiabilidade por parte do usuário.

Ser paciente

Muitos afiliados profissionais mencionam paciência como a condição mais importante para quem deseja trabalhar com marketing de afiliação.

A maturação do conteúdo divulgado na internet requer tempo.

Paciência também quer dizer realizartestes e ajustes contínuos, bem como trabalhar em várias ideias ao mesmo tempo.Isso até encontrar a estratégia e a metodologia ideais, que trazem os resultados considerados apropriados para o nível de trabalho investido.

E isto depende de cada afiliado. Depois disso, é hora da combinação entre paciência e manutenção.

E é neste estágio, que a renda semi-passiva começa a entrar. Para quem quer chegar lá, o conselho é trabalho e paciência.

O que são SEO, SEM, SMM, SMO e como ajudam afiliados a vender mais

SEO

O termo SEO, Search Engine Optimization, em inglês, significa Otimização em Mecanismos de Buscas. Na prática, é o que determina o posicionamento de sites em mecanismos de busca como Google, Yahoo Search, Bing. Existe uma série de normas a serem seguidas para atender as exigências do SEO e, desta forma, conseguir com que o site apareça nas primeiras colocações dos resultados de uma busca. Isso se chama posicionamento orgânico, ou seja, o buscador apresenta resultados espontâneos, naturais e gratuitos. Esse processo, entretanto, é bastante lento e exige muita dedicação. É necessário seguir algumas técnicas, aplicaralgumas estratégias e ter paciência, pois os resultados podem demorar meses, ou até mesmo anos, dependendo do segmento, para aparecer.

SEM

Já a sigla em inglês SEM, Seach Engine Marketing, quer dizer Marketing de Mecanismos de Buscas. Trata-se de um conceito muito mais amplo, pois, além de abranger o SEO, engloba uma série de estratégias pagas e gratuitas para que se alcance bons resultados nos buscadores. Apesar do termo ser bastante abrangente, quando profissionais da área falam em SEM, normalmente, estão se referindo à publicidade paga. Uma das estratégias mais conhecidas são os links patrocinados, que são anúncios pagos que aparecem em destaque como resultado de buscas, antes dos resultados orgânicos. Google Adwords é a ferramenta que gerencia as campanhas de links patrocinados do Google. Ao contrário dos anúncios gratuitos, os anúncios pagos podem aparecem como resultado de uma busca logo após a criação de uma campanha.

SMM, SMO

SMM, em inglês, Social Media Marketing, corresponde a Marketing em Mídias Sociais. O que, na prática, equivale aos mesmos princípios estratégicos do SEM, entretanto, aplicados especificamente às redes sociais. O objetivo é gerar engajamento e relacionamento, fazendo com que usuários participem ativamente do compartilhamento daquilo que se deseja promover. Já se fala em SMO, termo em inglês para Social Media Optimization, ou seja, Otimização em Redes Sociais.

Independentemente da sigla, o objetivo principal de qualquer estratégia de marketing digital é aumentar o tráfego. Sem tráfego não há vendas. Com isso em mente, é fundamental levar em consideração que cada veículo de comunicação exige um posicionamento diferente. Não basta criar um tipo de conteúdo e fazer um copia e cola da mesma coisa em todos os canais disponíveis. O que gera interesse, cria engajamento e resulta em mais tráfego é disponibilizar conteúdo relevante em diversos formatos. Nunca esquecendo de incentivar aquilo que é chamado de mashup, quando mais de uma mídia é incorporada na hora de promover algum conteúdo. Alguns usuários gostam mais de texto, outros preferem imagens estáticas, enquanto outros respondem melhor a vídeo. Existem ainda as preferências em relação às diferentes redes sociais. Quanto mais experimentação for feita com os formatos de conteúdo e com os meios de divulgação, mais fácil será de encontrar o método que converte melhor, gera mais tráfego e, consequentemente, vende mais.

Vantagens de trabalhar com programas de afiliados

Além da vantagem já mencionada de ser uma forma quase passiva de ganhar dinheiro, existem muitos outros benefícios em trabalhar com marketing de afiliação.

Liberdade demográfica e flexibilidade de horário

Algumas pessoas rendem mais de madrugada, enquanto outras preferem trabalhar mais horas de segunda a quinta, para pode folgar na sexta. Sem contar as pessoas que não gostam de perder tempo se deslocando para ir e voltar do trabalho. Trabalhar como afiliado possibilita poder trabalhar de onde quiser e quando quiser.

Baixo investimento inicial

Uma das coisas que afasta muito as pessoas de iniciarem um negócio próprio ou de começarem uma nova carreira, é o medo dos custos iniciais. A esmagadora maioria dos programas de afilados são de graça, o que significa que não é necessário fazer grandes investimentos financeiros para começar a trabalhar. O maior investimento será de tempo.

Sem burocracia

Outro fator que desestimula muito as pessoas a começarem um novo negócio é pensar sobre a burocracia de ter de providenciardocumentos específicos ou abrir uma empresa para iniciar as operações. Para trabalhar como afiliado não é necessário nada disso, pois todas as atividades podem ser exercidas como pessoa física.

Não é precisocriare cuidar um novo produto

Caso a ideia de criar um produto novo, montar um site de e-commerce, cuidar de logística, lidar com atendimento ao cliente seja algo desanimador para quem está pensando em investir em um negócio próprio, o marketing de afiliados é uma alternativa. Não é necessário se focar em todos os aspectos de um novo produto, basta se concentrar na promoção e venda de produtos criados por outras pessoas.

Não é necessário passar por treinamento especializado

Uma barreira de entrada muito comum para quem quer começar uma nova carreira é o conhecimento especializado. Às vezes, até mesmo, a obrigação de ter um diploma universitário ou investir em treinamentos caros. Para participar de programas de afiliados nada disso é necessário, todo o conhecimento preciso está disponível na internet de forma gratuita, basta disposição e dedicação para aprender.

É possível acompanhar tudo em tempo real

Todos os esforços e estratégias como afiliado, podem ser acompanhados em tempo real por meio das plataformas dos programas de afiliados. Todas as iniciativas de divulgação, vendas, cliques, leads podem ser visualizados instantaneamente, facilitando e agilizando o trabalho dos afiliados, que podem verificar quais estratégias estão funcionando e quais devem ser aprimoradas para conseguir melhores resultados.

Segurança

Considerando que os pagamentos pelas comissões das vendas realizadas pelos afiliados nos programas de marketing de afiliação são transferidos diretamente para suas contas bancárias, torna o sistema de afiliados um processo seguro e confiável. Uma de suas maiores vantagens.

Conciliação com outras atividades

Outro grande ponto positivo desse sistema é que é perfeitamente possível conciliar o trabalho como afiliado com outras atividades, sejam elas remuneradas ou não. Primeiramente, pode-se começar com poucas horas por semana, aprendendo aos poucos tudo o que envolve a função de afiliado. E, com o tempo, decidir se existe um desejo de manter a atividade como uma renda secundária ou, eventualmente, torná-la a renda principal ou, até mesmo, exclusiva.